Educação infantil e anos iniciais

A importância da Educação nos anos iniciais de seu filho!

Antes de mais nada a Primeira Infância é o período fundamental para a formação do individuo. Imediatamente é nele que se constroem a identidade, os padrões mentais e toda a base para os processos de aprendizagem e socialização que irão ocorrer ao longo de toda a vida.

Nossa proposta para a Educação Infantil oferece recursos — do Grupo de 3 anos até o Grupo de 5 anos — para que se construam aulas significativas e alinhadas aos direitos e objetivos de aprendizagem da Base Nacional Comum Curricular.

risco
menina

Você sabe o que considerar na hora da escolher a escola?

Transformamos experiências divertidas em aprendizado!

amigos

O colégio populus é
certificado UNOi

unoi

O UNOi foi premiada como uma das 100 iniciativas educacionais mais inspiradoras do mundo.

seufilho

Enfim é um projeto educacional de educação infantil e anos iniciais completo, solidamente construído com base em uma matriz de competências e habilidades que conecta em rede todos os atores do processo alunos, professores, escolas e famílias por meio de recursos de aprendizagem, ambientes, serviços educacionais e avaliações.

CRIANÇA PRECISA DE ESCOLA?

Se a criança aprende quando brinca, por que ela precisa da escola?

 

 

Não há respostas únicas. Existem muitas razões para que a instituição escolar, tão antiga e, ao mesmo tempo, polêmica e remodelada, persista na busca de contribuir com a educação das crianças.

O filósofo, médico e psicólogo francês Henri Wallon nos alertava que, para desenvolver as crianças, é preciso alimentá-las com comida e com relações. É no âmbito das relações que se encontra a educação – a de casa e a da escola. Educar começa no toque, na pele, mergulha na brincadeira, nas linguagens e no pensamento e não para mais. É coisa de gente para gente. E se constrói em ambientes que apoiam as aprendizagens das crianças.

Pensar em aprendizagem faz pensar sobre cognição

A capacidade de adquirir conhecimentos. Em casa, a criança dispõe de muitas oportunidades para brincar e aprender. No quarto, no parque, nos encontros com amigos e familiares, a criança exercita a linguagem peculiar da infância. Primeiro, explora os espaços e os materiais e, aos poucos, percebe, reproduz e recria as situações em que vive.

Na escola, a criança também brinca. Porém esse brincar se diversifica. A criança constrói outros brincares com seus colegas, aprendendo novas possibilidades. Mas são a presença e o olhar intencional do professor que potencializam as brincadeiras e as aprendizagens conquistadas.

No exercício profissional da pedagogia, o professor propõe novos desafios a partir da escuta dos interesses e das necessidades das crianças. Uma intensa pesquisa para formular perguntas provocadoras, sugerir problemas, introduzir novos materiais e espaços alternativos, garantindo que o ambiente pedagógico seja palco de brincares cada vez mais complexos, investigativos e disparadores de aprendizagens.

E há ainda o tempero que dá sabor à existência humana: as relações. É na família que as crianças começam a experimentar os papéis sociais e, paralelamente, a identificar seus próprios papéis. No meio desse conjunto dinâmico de forças, a criança experimenta seu lugar no mundo.

Aí, cresce um pouquinho, vai para a escola e encontra pessoas diferentes e outras dinâmicas sociais. Um impacto que provoca emoções e novas buscas identitárias: Como vou me inserir nesse lugar? Qual é o meu papel? O que esperam de mim? O que represento? O que quero representar?

E, assim, aos poucos, a criança descobre seus desejos, seus modos de ser e existir e constrói sua identidade no novo grupo. Ocupa um lugar num mundo expandido, que não depende exclusivamente da família. A vida fica mais complexa e, ao mesmo tempo, enriquecedora.